quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O PAÍS DA BRINCADEIRA



"PGR acelera investigação do caso Freeport: A directora da PJ de Setúbal e os dois inspectores que já trabalhavam na investigação do caso Freeport vão agora dedicar-se em exclusivo a este inquérito, para que o mesmo termine rapidamente. A decisão foi tomada no final da semana passada numa opção conjunta entre o Ministério Público e a Polícia Judiciária."
Mas não tinha sido isto que tinham dito desde o início porque era importante e fundamental para a Democracia esclarecer a questão "Freeport" antes das eleições? As eleições já lá vão, o primeiro-ministro continua o mesmo e da investigação só convenientes comunicados antes da campanha a dizer que Sócrates não é suspeito. Quando tudo aquilo que é suspeito no Freeport envolve Sócrates. E daqueles que são considerados suspeitos, todos têm ou tiveram ligações directas ou indirectas com Sócrates. Isto não é investigação policial, é brincar aos investigadores. Eu também fazia isso quando era pequenino, o problema é que estas personagens parece que não crescem. Repetem-se as intenções, repetem-se os comunicados, muitos deles contraditórios, mas fica tudo na mesma. Como a brincadeira de uma criança na terra da novilíngua orweliana.

Sem comentários: