terça-feira, 24 de novembro de 2009

JARED DRAKE, VISIONEERS


Este filme será tudo menos consensual. Num futuro próximo e distópico, os EUA são assolados por uma improvável vaga de explosões humanas. Aparentemente, certos indivíduos chegados a um certo ponto insustentável de stress acabam por literalmente rebentar. Até aqui pode parecer pura parvoíce mas não é. O que é é uma original e muito interessante crítica à sociedade moderna e ao materialismo consumista que parece alastrar e impregnar todos os domínios da nossa vida. Ao acompanharmos a personagem principal na sua tentativa de não rebentar acabamos por viajar rumo ao âmago da experiência humana e às grandes questões que, aparentemente, muitos de nós hoje em dia esquecemos. Este filme foi tudo menos aclamado pela crítica. Pelo contrário, ao ser classificado como comédia, muito do público que obteve foi à espera de umas boas gargalhadas. Claramente não teve tal coisa porque Visioneers não é uma comédia apesar de ter momentos de comédia e como protagonista um notório Stand Up comediant que obteve recentemente sucesso com The Hangover (2009). Visioneers é muito mais do que uma comédia. É, ao melhor estilo literário de Orwell com o seu 1984 ou do Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, uma crítica satírica a uma sociedade cada vez mais desligada das suas mais profundas emoções, por isso mesmo cada vez menos humana a fazer lembrar o A Clockwork Orange (1971) de Stanley KubricK. O filme conta ainda com a excelente participação de Zack Galifianakis que acrescenta dimensão ao filme com uma interpretação séria e intensa, características aliás que fazem sucesso na sua comédia (aconselho vivamente o seu Special no Comedy Central). Ao mesmo tempo contamos com uma bem conseguida realização de estreia de Jared Drake que exalta a intensidade da narrativa. Finalmente o argumento, também de estreia, de Brandon Drake (são irmãos) é francamente bom. A estória está ligada, vem em crescendo e surpreende-nos, não por qualquer twist mas pela densidade que consegue transmitir. Uma surpresa completa. Um trabalho que pela desilusão imediata comercial e pela qualidade substantiva que apresenta tem tudo para ser um filme de culto de uma geração mais nova.
Votação IMDB: 6.5
Votação Desblogueada: 9

Sem comentários: