domingo, 6 de dezembro de 2009

DO SENTIDO

"É nesta gigantesca sociedade de consumidores que procuramos, desesperados, encontrar espaço para novos valores que nos orientem ou nos agarramos, como náufragos, aos escassos vestígios dos que aprendemos a respeitar. Porque, na ausência de um sentido para as coisas, cada um de nós não é mais do que um autómato de consumo, capturado pelo marketing e reduzido a um egoísmo estéril e deprimente."

Aqui.

Sem comentários: