sábado, 16 de janeiro de 2010

SOBRE O AMOR

Aparece-me cada vez mais como evidente que na dualidade existencial permanente a opção terá de ser sempre o amor por oposição ao medo afirmando a felicidade por oposição ao controle. E tão longe estamos nós disso.

Sem comentários: