domingo, 28 de fevereiro de 2010

RANGEL

Uma análise correcta dos principais problemas do país, um discurso que se percepciona facilmente (deste não podem dizer que não sabe comunicar) e um conjunto de propostas com as quais, na sua maioria, concordo. Acima de tudo, inspira-me confiança. E competência.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

REMORSO

"José Sócrates vai entrar nos anais da história parlamentar democrática como o primeiro chefe de Governo a ser convocado para depor numa comissão de inquérito parlamentar." Aqui.
Que orgulho. É também o primeiro PM sobre quem recaem as maiores dúvidas de carácter, honestidade e dignidade. Sabe-se que é mentiroso. Irascível. E, considerando os resultados da sua governação, é incompetente. José Sócrates não vai entrar nos anais da história por causa de uma comissão de inquérito; Sócrates é muito mais do que isso, é uma página negra da nossa história. É o mau exemplo. É o erro. E é porque precisamos de aprender com os nossos erros que nunca o poderemos esquecer. Sócrates será o eterno remorso de uma geração envergonhada. 

O FIM

"Um comprimido para os pais serem mais carinhosos com os filhos. Um spray capaz de acalmar as discussões conjugais.
Os visionários, se este for mesmo o futuro, estão sedeados em Nova Iorque. A partir de 29,95 dólares (22 euros), a empresa Vero Labs vende um frasco de uma solução à base de oxitocina para promover a confiança. "Sem perceber como, as pessoas à sua volta vão ter um sentimento forte de segurança. Não conseguem explicá--lo, mas saberá que o Liquid Trust está a fazer a sua magia", anunciam. Basta aplicar na roupa, ou como água de colónia." No Jornal i.
É o fim.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

MALDITO SEJAS (ou o desabafo desiludido perante a evidência)

Aquilo que esta gente que anda para aí a correr de um lado para o outro, uns a desmentirem o óbvio, outros a desculparem o evidente; uns a falarem de regras e formalidades, outros a esconderem-se por detrás dessas mesmas formalidades. Aquilo que esses todos não parecem compreender é que o que está em risco não é apenas a credibilidade (ou antes: a falta dela) do PM nem a competência (ou antes: a falta dela) do PGR. Não. O que está em causa é que, graças a esta gente, quem quer que diga o que quer que seja já não é acreditado por ninguém. Esse é que é o problema. Esta personagem vem dizer que Sócrates "nunca foi arguido". So what? O que está em causa é a credibilidade do sistema. O problema que parece evidente para todos menos para eles é precisamente o facto de que mesmo que Sócrates, seja no Freeport, seja no Face Oculta, seja nas inúmeras complicações a que parece estar associado, mesmo que devesse ter sido constituído arguido não o seria. Aquilo que esta gente não compreende é que estão a enterrar o regime num poço sem fundo onde ninguém acredita nos titulares das instituições públicas. Num país a sério, quem se vê numa posição destas demite-se porque o cargo (seja PGR, seja PM) é mais importante para o bem do colectivo (entenda-se o país) do que para o titular que o ocupa. Mas no país do salve-se quem puder alguém tem esse sentido de estado? Claro que não. Enterram-se na porcaria e levam tudo com eles. Infelizmente no Portugal pós-Sócrates salvar-se-á muito pouco. O seu legado será um país empobrecido, escravizado por uma dívida gigantesca, parte do problema que coloca em perigo o euro e, como se já não bastasse, um país onde ninguém acredita em ninguém, onde se sente a impunidade dos poderosos e a fraqueza dos fracos. Um país divido, enfraquecido, envergonhado. Maldito sejas Sócrates, que me fazes ver o pior de Portugal. Maldito sejas. Tu e todos os outros como tu. Que são muitos, infelizmente e representam a medida da nossa pequenez. Maldito sejas.

ENTÃO E O TGV?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

TUDO BONS RAPAZES

JOHNNY CASH

"'ve had it here - being where love's a small word
A part time thing
A paper ring
I know it's been done havin' one girl who loves you
Right or wrong
Weak or strong

Don't know that I will but until I can find me
A girl who'll stay and won't play games behind me
I'll be what I am
A solitary man
A solitary man"

MADEIRA


"Os Correios vão aceitar a partir desta terça-feira o envio gratuito de bens essenciais para fazer face à tragédia que assolou a Madeira, no último fim-de-semana.
 A caixa solidária está disponível em todas as 900 estações de correios do país. As pessoas que queiram ajudar os madeirenses têm apenas de pedir uma destas caixas no balcão dos CTT e escrever a palavra «MADEIRA» no espaço do destinatário, sendo que a encomenda está livre de qualquer imposto de selo.
A população madeirense necessita de lençóis, cobertores, mantas, almofadas, roupa interior masculina, feminina e infantil, roupa em geral, produtos de higiene, fraldas, leite em pó, comida para bebé e enlatados.
As caixas solidárias vão chegar à Caritas da Madeira que, por sua vez, tratará de gerir os bens oferecidos, tendo em conta os pedidos de ajuda. O apoio reverterá também para outras instituições como a Associação Protectora dos Pobres, a Delegação Regional ds Abraço no Funchal, a ADENORMA (Associação para o Desenvolvimento da Costa Norte da Madeira) e o núcleo regional da ACREDITAR (Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro), na Madeira.
A campanha está integrada no Projecto de Luta contra a Pobreza e a Exclusão Social, promovido pelos CTT. O projecto incentiva qualquer cidadão a praticar boas acções, ao poder enviar, sem custos, bens essenciais para cerca de 30 instituições de solidariedade social."
Mais uma vez, por mail, daqui.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

INCOMPREENSÃO

Não cessa de me surpreender
esse desconhecido linguarejar
em que o infinito, esse estranho ser,
se pretende em mim desenrolar.
Seja ignorância,
de quem não aprendeu línguas suficientes;
seja impertinência,
de quem achou que tudo poderia conhecer;
no fim sobra um leve murmurar
que parece nada significar.

RODRIGO LEÃO

Rodrigo Leão com Beth Gibbons (Portishead), "Lonely Carousel", Cinema (2004)


"It´s a look
This game we play
We can´t escape we have to attend
Its life you see

When I have tried to amuse myself
To celebrate the funfair
The pleasures I seek are far too discreet for me

And all the time the world unwinds
I can´t deny the way I feel
The truth is lost
Beyond this lonely carousel

And all these words, they mean nothing at all
Just a cruel remedy a strange tragedy
Of what will be

After I try to discover the answers to why
To look for a meaning
Inside of this dreaming I have

And words that I´ve said they spin around
Waltzing alone inside my head
Nothing will change
Its always the same please make it stop

And all the time the world unwinds
I can´t deny the way I feel
The truth is lost
Beyond this lonely carousel



And all these words, they mean nothing at all
Just a cruel remedy a strange tragedy
Of what will be




And all the time the world unwinds
I can´t deny the way I feel
The truth is lost
Beyond this lonely carousel"




O FUTURO

É isto. Estamos a criar eternas crianças, facilmente manipuláveis e incapazes de compreender o mundo. Dará muito jeito para esses marquetistas que querem vender qualquer coisa. Dará muito jeito para aqueles políticos que não querem ter de prestar contas a ninguém e, mesmo governando mal e tirando proveito da ignorância continuam a governar. Será muito triste ter de assistir a esse espectáculo de ignorância. Pobres de nós.
(Via Portugal dos Pequeninos)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

MORPHINE

"The Saddest Song", Good - 1992

RECORDAÇÕES FRIAS

Infelizmente para nós, ocidentais impregnados de iluminada razão, a emoção recebida em dados momentos esconde-se pela cortina de fumo representada pela nossa vontade sobre o que quereríamos que essa emoção recebida fosse. Mas a emoção recebida depende de quem a emite. E nós, no engano da nossa vontade, desejando que alguém deseje, somos levados ao auto-engano. Mas não dura. Porque a memória não engana. Recordamos o que nos acontece e, de repente, mesmo que na altura tenhamos desejado isto ou aquilo, há recordações cheias de emoção, recordações cheias de força; daquelas que nos fazem sentir outra vez; que nos emocionam porque, naquele momento, no instante em que tal recordação foi criada, recebemos algo, sentimentos e emoções, recebemos aquilo que nos preenche e dá sentido à vida. E perante tais recordações emocionamo-nos retribuindo ao vazio aquilo que recebemos. Mas há outras recordações. Existem aquelas que não nos transmitem tais emoções.  Recordações que vêm vazias de conteúdo, duas pessoas, um abraço, mas falta ali qualquer coisa: são recordações frias. Podem vir como uma surpresa, mas são o desvendar da realidade da comunhão emocional: não podemos recordar com intensidade algo que não foi vivido com intensidade outra que não a ilusão da nossa própria vontade; não podemos retribuir ao vazio aquilo que não nos foi dado.

JOY DIVISION

Decades, Closer - 1980

DA PERPLEXIDADE

A perplexidade cria-me a ânsia da compreensão. Mas há momentos em que temos de perceber que a ausência de resposta representa, em sim mesma, uma resposta.

TALENTO

Feito por um rapaz de 17 anos com esferográficas e 2100 páginas.

OS PEQUENINOS

A agenda será, certamente, a crise internacional.

SÃO RELES

É o esquema. A estratégia, sem rumo. A forma, sem conteúdo. A videirice. O chico-espertismo. Enquanto o país navega em águas turbulentas, enquanto os problemas se avolumam de forma perigosa e muito próximos do ponto de não retorno, de que se ocupa o socretinismo? Do esquema videirinho de como se agarrar ao poder que têm. Sem dúvida terão tido muitas reuniões, fartaram-se de trabalhar a ver como se safam disto. Pergunta: andará o PS a pensar como resolver o problema do afundanço internacional de Portugal ou a tentar manter o poder, à força, nas mãos do seu tristemente admirável líder? Alguém duvida da resposta? O que entristece é que a razão pela qual ainda lá continuam prende-se, certamente, com o sentido de responsabilidade que Cavaco tem para com a situação vulnerável de Portugal nos mercados internacionais. Isto representa um impasse. E com gente desta, sem sentido de responsabilidade ou de patriotismo, vamos ter de sair do impasse de uma forma ou de outra. À força. A verdade é que esta gente é reles. Muito reles. E, por isso mesmo, mais cedo ou mais tarde, têm de ser corridos.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

YOU TALK THE TALK... BUT DO YOU WALK THE WALK? (II)

Bloco de Esquerda. O suposto defensor da moral e da ética política, com o aparecimento de todas estas notícias que mostram a verdadeira face do poder político regido pelos interesses socialistas, parece que desapareceu. Por muito menos fartaram-se de gritar e espernear sobre a falta de escrúpulos de todos os políticos que não eles. E até já apresentaram uma moção de censura a Sócrates e o seu Governo. E agora? Nada? Curioso.

YOU TALK THE TALK... BUT DO YOU WALK THE WALK?

Manuel Alegre. Diz-se o defensor da liberdade e é candidato a Presidente da República. Como quer (e precisa) do apoio socialista fica calado que nem um rato perante a mais vergonhosa prestação política do seu partido. Mais um condicionado. E assim se vê que quem nele votou há quatro anos atrás por razões de cidadania, independência e liberdade não terá razões para repetir o seu voto.

PRONTO ESTÁ RESOLVIDO

"Saying that body scanners violate Islamic law, Muslim-American groups are supporting a “fatwa” – a religious ruling – that forbids Muslims from going through the scanners at airports."
Aqui.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

ENTRETANTO

o verdadeiro estado do país e o nosso futuro estão assim. Para que não nos esqueçamos que a aldrabice não se fica pelos negócios. Fica também pelo empenhar do futuro em nome de estatísticas presentes. Uma vergonha.
(Encontrado aqui.)

SOBRE A CONSPIRAÇÃO

Aqui ficam os esclarecimentos de José António Saraiva a propósito das escutas e da tese socialista sobre a ilegalidade da sua publicação bem como a ideia de que o governo e o PM "já foram inocentados pelo sistema judicial que não de pode pôr em causa".
Diz-nos JAS que: "Vitorino diz que a questão judicial está arrumada, porque já houve decisões do procurador-geral e do presidente do Supremo sobre este assunto.
Ora, não entra pelos olhos dentro que é isso mesmo que está em causa? Que, perante o que veio a público, o PGR e o presidente do STJ são suspeitos de terem actuado com o objectivo de proteger o poder político, servindo-lhe de pára-choques?" Obrigado. É que é isso mesmo.
Mais aqui.

MAS AFINAL

onde é que anda o Manuel Alegre? Não era ele o grande arauto da patriótica liberdade e democracia? Pelos vistos não.

SAI UM POLVO À MODA DO SÓCRATES

"Segundo o Ministério Público de Aveiro, a compra da TVIpela PT era apenas o pontapé de saída para possibilitar a emergência de um grupo de comunicação social favorável ao Executivo"

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

SOCIEDADE CIVIL: A RESPOSTA PARA A CORRUPÇÃO



A resposta contra a corrupção reside na sociedade civil. Que alívio, por momentos pensei que tivéssemos um problema em Portugal.

PALAVRAS PARA QUÊ?



"Providência cautelar visa impedir a publicação de mais escutas no Semanário Sol"
Aqui.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

AO VIVO E A CORES A DECLARAÇÃO DE PAULO RANGEL

"JÁ NÃO BASTA MUDAR É PRECISO ROMPER"

Estava a precisar de ouvir isto.

PORQUE SERÁ?

SOBRE O CARÁCTER

"Nunca faltei à palavra dada e aos compromissos que assumi... Os cargos públicos são efémeros, mas o carácter dos homens é duradouro. Não são os cargos que definem a nossa personalidade, mas aquilo que somos em tudo aquilo que fazemos."
Aníbal Cavaco Silva, Presidente da República
(encontrado aqui)

DEIXEM-ME VER SE PERCEBO

Sócrates demitia-se por 80 milhões no Orçamento de Estado mas já não se demite por ser apanhado a planear o condicionamento global da comunicação social em Portugal?

O POLVO

"No único almoço que o “Sol” teve com Sócrates em São Bento, ele às tantas disse-me que “isto de a gente tentar comprar jornalistas é um disparate, porque a melhor forma de controlar a imprensa é controlar os patrões”. Foi extraordinário o desplante de ter dito isto e depois ter posto esse plano em prática. De há algum tempo para cá, a sua estratégia tem sido controlar os patrões: foi o “Diário Económico” comprado pela Ongoing, a Controlinveste através do financiamento bancário, a TVI através da compra pela PT e depois com a Ongoing e por aí fora. A pouco e pouco, o que a gente vê é que a margem de liberdade começa a ser muito limitada através desse mecanismo simples: entrar por cima, sobretudo num período de crise económica, em que todos os grupos vivem com dificuldades financeiras e em que a chantagem e o controlo têm repercussões enormes, porque toda a gente tem medo de ter dificuldades de financiamento ou de publicidade se estiver contra o governo."
José António Saraiva, aqui.
Daqui a um mês vão estar todos indignados com Sócrates e os seus esquemas caciqueiros. Mas eu não me vou esquecer quem resistiu e aqueles que foram coniventes. Não por vingança mas porque quem se vende uma vez, vende-se outra vez; e quem não vê uma vez, não é garantido que aprenda à primeira. E a quem interessou é porque não vê para lá do seu umbigo. Dos coniventes e dos comparsas se fazem as vergonhas que vivemos. No fundo, é gente que não interessa. Dos ignorantes não reza a História. Felizmente.

A POUCO E POUCO

Aqueles que tudo aceitaram e com tudo foram complacentes, face à evidência de uma morte anunciada, que nem os ratos, começam, felizmente, a abandonar o barco. Coisas como esta vão se suceder. E, a pouco e pouco, num processo de crescente aceleração, Sócrates vai afundar-se num mar de "indignação", no seu bunker, com os seus comparsas, num triste final de uma tragédia por demais evidente. É assim o final da mesquinhez: sozinho, zangado e, acredito piamente, sem compreender. Não tenho pena dele.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

A ANATOMIA DE UM GOLPE



A história toda de como os sistema de Sócrates funciona. A vergonha, desde o boy até ao chefe. Aqui.

FASCIZANDO


"Os cartazes publicitários de Heligoland, o novo álbum dos Massive Attack, foram banidos das estações de metro de Londres. Segundo declarações da banda ao jornal Daily Star, a capa do disco é demasiado parecida com graffiti para poder ser exibida no metro"
In Blitz Via Cachimbo.

DEMOCRACIA VS MEDIOCRECIA (ou democracia vs mesquinhocracia)

Todos pela Liberdade | 11 Fev | 13h30 | Frente à A.R.


domingo, 7 de fevereiro de 2010

UM HOMEM



"Vive sem água nem luz numa casa só acessível através de um caminho sinuoso, perto da aldeia de Babe. Longe de tudo e de todos, Sidónio Tomeno, a completar 75 anos, trocou o conforto de uma habitação pela companhia dos animais In DN
Trocar o conforto de uma habitação no meio de uma povoação por uma casa inacabada, sem água canalizada nem electricidade, no meio do mato, é opção que muitos não tomariam. Mas perto da aldeia de Babe, em Bragança, há quem esteja nessas circunstâncias por gosto.
Sidónio Tomeno tem quase 75 anos e vive completamente isolado, numa casa de tijolo construída há duas décadas, longe de tudo e de todos, só acessível através de um caminho agrícola sinuoso.
Na aldeia tem duas habitações, mas não gosta de lá estar. "Estou aqui sossegado, não me meto com ninguém" refere. "Tenho duas casas, mas não estou lá porque tenho família na França", explica, acrescentando que "se estivesse em Babe tinha de estar sozinho como estou aqui e lá não podia ter os animais". São três burros, um cão e um gato que lhe fazem companhia todos os dias. Entretém-se nas lides agrícolas, sobretudo a tratar das cerca de 400 oliveiras. "Não falta aqui o que fazer."
A casa não tem água nem luz. "Às vezes uso velas, outras vezes um gasómetro e a água vou buscá--la perto" conta. As refeições são à lareira. "Tenho lume de Verão e de Inverno, aqui no monte há muita lenha".
Sidónio Tomeno vai à povoação uma vez por mês para receber a reforma e comprar alimentos. "A cada 20 dias vou a Bragança num táxi e trago as coisas no cofre do carro" afirma. "Compro peixe, polvo e bacalhau, frango, arroz, massa, queijo e tudo o que faz falta, mas carne fresca não posso ter muito tempo porque se estraga", dado que não tem frigorífico.
Os familiares directos, dois sobrinhos, estão ausentes. A pouca sorte nunca quis que casasse, mas no coração ainda guarda a Alicinha, a quem, há 35 anos, falou em namoro a cantar. "Ia casar-me com ela, mas morreu. O pai encontrou-a tombada atrás de uma porta quando chegou a casa, tínhamos as alianças e tudo" recorda. "Fiquei aborrecido e não voltei a querer mais nenhuma mulher."
A sua única preocupação é a saúde, que com o avançar da idade começa a ficar debilitada. "A idade não me permite estar aqui muito tempo, uma pessoa morre num instante", diz, citando um ditado popular: "Hoje figura, amanhã sepultura." Talvez por isso admita vir a mudar-se novamente para a aldeia. "Se me acontecer alguma coisa aí fico, morrem os burros fechados na loja e tudo." Por isso, "prò ano a minha irmã que está na França deve vir de vez, vou para o pé dela e já cuida de mim."

sábado, 6 de fevereiro de 2010

INACEITÁVEL


Isto é inaceitável. Têm que se demitir. E depois quero ver esse Procurador Geral da República, juntamente com esse Primeiro-Ministro e os Ministros e amigos deles a defenderem-se em tribunal.

O VIDEIRINHO


Este Primeiro Ministro, a propósito de ter sido apanhado com a boca na botija, disse o seguinte: 

"Eu não contribuo para essa infâmia, nem para a degradação da nossa vida pública, baseando-se essas acusações e essas notícias em escutas telefónicas”, disse, à margem da cerimónia de adjudicação de contratos das redes de nova geração, em Vila Viçosa. " in Público

Portanto, se eu ouvisse aqui a minha vizinha do lado a dizer que tinha morto ali o meu vizinho do outro lado, isso não interessava nada e era uma "infâmia"? Claro que não; é demagogia barata de um demagogo ao nível do seu amigo Chávez. Só desconversa. Chama nomes a tudo e a todos quando, na realidade, ele é que é considerado suspeito (por um procurador público e um juiz) de um crime contra o estado de direito. A ser alguém infame, seria ele. Mais: a única razão pela qual a sua conversa foi escutada é porque fala constantemente ao telefone com pessoas investigadas por múltiplos crimes. Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és. E como se não bastasse sabemos agora que andava com essas pessoas a combinar formas de controlar a comunicação social. Escroque. Isto é o ponto mais baixo da democracia Portuguesa. Este indivíduo, videirinho sem categoria, que se fez político de esquema em esquema, desde caciqueiro local até Primeiro-Ministro, com o seu curso forjado, as casinhas aprovadas em esquemas que toda a gente sabe quais são, com o seu paleio superficial e inócuo; assumamos: é uma pessoa de valores dúbios, sem o carácter que a função lhe exigiria; não tem dimensão intelectual, humana ou política para dirigir o Governo de Portugal. Os resultados, aliás, estão à vista. Este Primeiro-Ministro envergonha-me porque, infelizmente, é o meu Primeiro-Ministro. Mas o mais inacreditável é o facto dele por lá continuar, de tudo vir ao de cima e ninguém se revoltar; inacreditável é, também, o facto de não haver ninguém na rua a manifestar-se pelo seu direito fundamental a, mais do que ser bem governado, pelo menos a ser governado em verdade e com total respeito pela liberdade de informação. E, ainda, toda a apatia e a amoralidade que por aí grassa que desculpa tudo, que deixa andar, que, ao melhor estilo Estado novo, baixa as orelhas e faz de conta que nada se passa. Tudo isto, infelizmente, repito: infelizmente, tudo isto mostra muito do país que somos.

UM DIA FOMOS UM PAÍS A SÉRIO


Posto isto, nada se passa? Esta gente conspira contra a liberdade de expressão e nada se passa? Mas em que planeta é que estamos? Somos homens ou ratos?
Num país a sério já estavam milhares na rua a manifestar-se pela demissão do Primeiro Ministro a mostra-lhe o dedo aí de cima. Mas não, só há destes alienados que não vêem para lá do seu interesse particular sem ter a mínima noção do estado em que isto está.
Um dia fomos um país a sério.

FASCIZANDO


"Britain's armed forces could be used on a regular basis on the streets of Britain to confront the threat of terrorism, under the terms of a strategic defence review announced yesterday."
Aqui. 

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

O PEQUENO DITADOR

Para quem ainda tinha dúvidas, aqui fica o carácter mesquinho, pequenino e fascizante desta gentinha que nos governa.
Ver no Sol. E no I.
Estranhamente no Público e no DN nada se diz.Uma notícia destas e 12 horas depois nada nos sites. Curioso, não é? Só não vê quem não quer ver.

ALGUÉM TINHA DÚVIDAS?

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

DE REGRESSO

ao frio, à chuva e à distância.