quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O POLVO

"No único almoço que o “Sol” teve com Sócrates em São Bento, ele às tantas disse-me que “isto de a gente tentar comprar jornalistas é um disparate, porque a melhor forma de controlar a imprensa é controlar os patrões”. Foi extraordinário o desplante de ter dito isto e depois ter posto esse plano em prática. De há algum tempo para cá, a sua estratégia tem sido controlar os patrões: foi o “Diário Económico” comprado pela Ongoing, a Controlinveste através do financiamento bancário, a TVI através da compra pela PT e depois com a Ongoing e por aí fora. A pouco e pouco, o que a gente vê é que a margem de liberdade começa a ser muito limitada através desse mecanismo simples: entrar por cima, sobretudo num período de crise económica, em que todos os grupos vivem com dificuldades financeiras e em que a chantagem e o controlo têm repercussões enormes, porque toda a gente tem medo de ter dificuldades de financiamento ou de publicidade se estiver contra o governo."
José António Saraiva, aqui.
Daqui a um mês vão estar todos indignados com Sócrates e os seus esquemas caciqueiros. Mas eu não me vou esquecer quem resistiu e aqueles que foram coniventes. Não por vingança mas porque quem se vende uma vez, vende-se outra vez; e quem não vê uma vez, não é garantido que aprenda à primeira. E a quem interessou é porque não vê para lá do seu umbigo. Dos coniventes e dos comparsas se fazem as vergonhas que vivemos. No fundo, é gente que não interessa. Dos ignorantes não reza a História. Felizmente.

Sem comentários: