quarta-feira, 7 de julho de 2010

A CEIFEIRA

"Os dois jovens olharam o quadro com absoluta indiferença. Para ambos, o conhecimento da morte era puramente intelectual, era por assim dizer um dado cultural e não uma experiência que lhes furasse a medula dos ossos. A morte, sim, existia, sem dúvida, mas era coisa para uso dos outros; Dom Fabrizio pensava que é pela ignorância íntima desta suprema consolação que os jovens sentem as dores mais acerbamente que os velhos: para estes, a saída de emergência está mais perto."
Giuseppe Tomasi di Lampedusa, O Leopardo, Teorema, 2007; p. 199

Sem comentários: