sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

CRÍTICA AO IGUALITARISMO (III)

Parte I
Parte II

Numa sociedade igualitária, um cidadão encontra pré-definido o que a sua vida vai ser: o que está definido como ponto de igualdade é o guião pré-estabelecido da sua vida. O que pode ele fazer se esse guião, apesar de perfeito e o mais alto ponto da vida humana, não for do seu agrado? E se eu não quiser aceitar a definição de perfeição dos criadores do sistema? Serei re-educado, pois claro: um sistema igualitário não pode tolerar a não-igualdade. O totalitarismo, portanto.

Sem comentários: