sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

CRÍTICA AO IGUALITARISMO

A ideia igualitária de que todos podem ser felizes por igual (patente nas visões igualitárias da sociedade) é uma evidente má compreensão da realidade: sendo a felicidade o culminar de um processo então a felicidade - por definição - implica atravessar diferentes estados (do estado da não-felicidade para o estado da felicidade). Ora, fosse tudo igual para todos então tudo teria que ser igual sempre; a realidade teria de ser forçosamente estática. A questão que sobra é a seguinte: como pode um processo desenvolver-se numa realidade estática? Sendo tudo o mesmo então força-se o processo a começar num ponto de partida que, sendo tudo igual, seria idêntico ao ponto de chegada. É, evidentemente, uma impossibilidade. E uma vez retirado o processo de conquista da felicidade sobraria, obrigatoriamente, a infelicidade para todos.

Sem comentários: