quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

JANELA DE OPORTUNIDADE

Estou honestamente muito apreensivo com o nosso futuro bem-estar económico; e não é apenas com Portugal. Lá longe, mas em termos económicos tão perto, nos EUA continua a imprimir-se dinheiro e a evitar fazer-se o ajustamento económico que se exigiria que fizessem: também os Estado-Unidenses, mais cedo ou mais tarde, terão que tratar da dívida astronómica que têm e, quanto mais tarde o fizerem, maior será a brutalidade das consequências desse ajustamento. Obviamente, a Europa - e em particular, Portugal - no estado de fragilidade que se encontra será particularmente afectada. É por isto mesmo que em Portugal não há tempo a perder: se não fizermos as reformas que nos permitam ter as nossas contas públicas equilibradas - de forma sustentável - e baixarmos de forma significativa a carga fiscal, estimulando dessa forma a economia, corremos o sério risco de ter que fazer as exactas mesmas reformas num clima internacional muito mais adverso - e este já não é bom. Infelizmente, no entretanto, continuamos com uma oposição alienada da realidade e com os caciqueiros de serviço no PSD meramente preocupados com os seus interesses comezinhos politiqueiros. Não é fácil, de facto, a tarefa do Governo. Ao mesmo tempo, a manutenção do Dr. Relvas no dito também não augura grande coisa. Enfim, no final, sobra mesmo a esperança: a janela de oportunidade é curta e espero que a aproveitemos.

Sem comentários: