quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

MAMÍFEROS E METEORITOS

Acabou de passar um meteorito enorme e espectacular em plena combustão sobre Leuven: a cauda era brilhante e, ardente, explodiu duas vezes nuns coices cósmicos, aumentando a luminosidade do rasto até que a sua trajectória saiu do meu alcance. Espero que não tenha ido cair em cima de ninguém. Já ontem foi uma espécie de goaxinim todo preto a saltitar mesmo à frente dos meus olhos, à porta de minha casa. Ia ao lixo, o esperto. São sinais, diriam os supersticiosos. São sinais seguramente, digo eu: são sinais de que mesmo na cidade e num país atulhado de gente ainda sobra espaço e tempo para o mundo. E de outra forma não poderia ser: o mundo é grande (e nós pequenos) demais para que fosse de outra forma.

Sem comentários: