terça-feira, 26 de março de 2013

TUDO COMO HABITUALMENTE

Reformar a sério, diminuir a despesa do Estado e cortar a eito com interesses instalados são coisas que o Governo não consegue fazer. Já instalar pseudo-espiões, maçons e arguidos da justiça na Presidência do Conselho de Ministros é mato. Enfim, chama-se o viver como habitualmente. Gosto particularmente da ideia de que o Governo cria um "posto de trabalho": é que o desemprego não é para todos.

Sem comentários: