domingo, 30 de novembro de 2014

MUDE-SE A DATA

A pouco e pouco fui vendo que o habitual BC (Before Christ) e AD (Anno Domini) como formas de designar, respectivamente, os anos anteriores e posteriores ao nascimento de Jesus Cristo têm vindo a ser substituídas pelas siglas 'BCE' e CE'. O 'CE' significa 'common era' e visa acomodar o incómodo que académicos mais seculares têm com a utilização da figura de Cristo como forma de marcar o nascimento da nossa Era. Ora,está bem de se ver que, na realidade, substituir a sigla não muda nada, a não ser a sigla. O que significa que não faltará muito para que esteja encontrado mais um cavalo de batalha dos suspeitos, ou revisores, do(s) costume(s). Há que modernizar a data, dirão uns. Há que limpar a cronologia de referências que discriminam quem não as aceita, dirão outros. E, depois, daqui por uns anos, quando se concordar que a data é para mudar, discutir-se-á se havemos de armar-nos em futuristas e saltarmos para o ano seis mil e tal, convencionando-se como ano zero o momento em que inventámos a roda, por exemplo, ou, por oposição, se queremos saltar para o passado, apagar de facto a pré-história e comemoramos, todos unidos, em alegre igualdade e fraternidade, o nascimento da Nova Era. Nova discussão aparecerá então, afinal, a partir de que ano haveremos nós de comemorar o nascimento do novo-homem? Talvez, fica a humilde sugestão, se possa convencionar o ano de mil novecentos e cinquenta e cinco como ano zero, o que nos transportaria para o ano cinquenta e nove Depois de Jobs. Seria apropriado. E aí, todos juntos, agarraríamos a maçã para partilharmos em camaradagem uma única dentada, afinal, lembre-se, foi  precisamente uma dentada numa maçã que num passado de sonho nos expulsou do paraíso e, por essa mesma razão, seria apenas justo que essa mesma maçã, num sonho do mesmo calibre, nos devolvesse o paraíso. Para trás, nos anos antes de Jobs (AJ), ficariam os omnívoros, os homens não-metrossexuais, todas as maiorias opressivas e todos os malandros que um dia mandaram um piropo a uma mulher. Desses não rezaria a História! E para um futuro de novos paraísos, plenos de novas felicidades e novos homens, para esse futuro só basta querer. Vá, vá: façam lá a associação. Mudar a data é a solução.

Sem comentários: