terça-feira, 5 de janeiro de 2016

ALGUÉM VIU POR AÍ O PROFESSOR MARCELO?

Pelo que me vai chegando - e por mais que evite acaba mesmo por chegar - o Professor Marcelo encarna na perfeição, julgo que de forma deliberada, o espírito destes nossos tristes dias vazios: não se compromete, nada afirma que lhe possa custar um votinho que seja, apenas tenta passar pela chuva sem se molhar e, por essa razão - e apenas por ela - aspira legitimamente ao mais alto cargo da república. Fica, naturalmente, a lição que o professor exemplarmente nos ensina: nos dias de hoje, fala mas não digas nada, pensa mas não contes a ninguém, age mas despercebidamente. Que nem uma enguia, com o sorriso aberto, mostra-se amigo de todos, fiel a todos - que é como quem diz que não é amigo de ninguém, muito menos fiel, a alguém além dele próprio. Se algum eleitor mais incauto ainda achava que o comentador eleitoral traria alguma coisa para este país no seu primeiro mandato que se desengane: na busca da reeleição a sua estratégia no cargo de PR será a mesma: não fazer nada, não mexer, não ofender - mesmo que isso signifique afundar o país nos braços delirantes do Dr. Costa e da extrema-esquerda. Ora, se o Sr. Professor não se digna a representar-me no seu primeiro mandato pode muito bem ficar com a certeza que não leva o meu voto na primeira volta. Isso é garantido. E se por algum milagre do destino o seu adversário na segunda volta for o Henrique Neto, olha, é como diz o outro: azarito. Para vazio já bastava o Dr. Costa e as suas "torrentes" de asneiras.

Sem comentários: