quinta-feira, 16 de novembro de 2017

POLITIQUICE

Sobre o amor ao PSD, é simples: dois homens casados discutem com as mulheres. Um, Santana, pondera o hipotético divórcio, o tal partido social liberal, que não concretiza: fica em casa e resolve as coisas. O outro, Rio, pula a cerca e vai namorar com a mulher do vizinho, que é como quem diz vai inventar um sucessor para a CMP contra o próprio partido, e passa uns anos fora de casa a falar mal da mulher mas sempre a dizer que, se ela quiser, desde que seja para mandar, até volta para casa. Quem é que, afinal, se portou mal?

Sem comentários: