quinta-feira, 16 de novembro de 2017

UEBESAMITE (II)

Em Portugal, desde mil quinhentos e picos que a prosperidade e o progresso material são coisas que nos acontecem, não são feitas por nós: tal como os turistas, vêm de fora, não são nossas. Pior: em muitas circunstâncias, tais como os tempos que vivemos, acontecem apesar de nós. Ocorreu-me isto ao ver aqueles dois palonços que mandam, um no governo do país, o outro no da câmara de Lisboa, a acenarem à populaça da Web Summit como se aquilo fosse obra deles.

Sem comentários: